sábado, 21 de janeiro de 2012

Hermenêutica Parte 3 - Linguagem Literal e Figurada




Certos textos devem ser entendidos literalmente. Há também na Bíblia passagens em linguagem figurada. Devemos ler a bíblia deixando-a significar o que quer dizer. Sua linguagem figurada é geralmente indicada pelo contexto; sues símbolos e tipos são explicados por outras passagens, quando não o são no prórpio texto ou no contexto imediato. Fora disso, sua linguagem deve ser entendida literalmente, a não ser que o sentido requeira interpretação figurada.

“A pregação bíblica começa com a exegese do texto, e a exegese segue os princípios gramaticais. Ela procura entender o significado verbal do texto analisando a função e o sentido das palavras empregadas...”.
Dividem-se assim os diversos gêneros literários encontrados na Bíblia:

a) Narrativo:
b) Legislativo
c) Sapiencial
d) Profético
e) Cânticos
Um dos aspectos do lado humano da Bíblia, Deus escolheu fazer quase todo tipo de comunicações disponíveis: Exemplos:
* Genealogias
* Crônicas
* Leis de todo tipo
* Poesia
* Drama
* Parábola
* Etc.

1 LITERAL

A definição para este modo de interpretação é a seguinte: Conforme a letra do texto, sujeito ao rigor das palavras; esta forma de interpretação das escrituras sagradas é mais aceita no meio cristão, por vários motivos:

·      Este sistema de interpretação é a maneira aceita em todas as línguas, povos e nações;

·      Esta forma de interpretação respeita as parábolas,  sonhos e simbologia;

·      No sentido literal de interpretação é possível fazer comparações com outros textos das santas escrituras;

·      Esta forma de interpretação considera todo o contexto e não só uma parte do texto isolado das demais;

·      O Senhor Jesus, os profetas e apóstolos,  utilizaram esta forma de interpretação das escrituras divinas.

Jonas passou trez dias dentro do peixe
Jonas 1:17
S. Mat. 12:40
Jesus entra em Jerusalém montado num jumentinho
Zacarias 9:9
S. Mat. 21:2 a 9
A pedra de Sião,  quem nela crer não será confundido
Isaías 28: 16
S. Mat. 21:42, Efésios 2:20
A seca dos tempos de Elias
I Reis 17:1
Tiago 5:17-18
O dilúvio sobre a terra nos tempos de Noé
Gênesis 7:1-23
II Pedro 2:5, Hebreus 11:7
A passagem de Israel pelo mar vermelho
Êxodo 14:21-27
Deus 1:4, Salmo 136:13-15
Israel no cativeiro Babilônico de 70 anos
Jeremias 25:11 e 12  
Daniel 9:2


2 PRINCIPAIS FIGURAS DE LINGUAGEM

1 - Metáfora – é uma comparação não expressa. É a figura em que se afirma que alguma coisa é o que ela representa ou simboliza, ou como que se compara. O sujeito está entrelaçado com a coisa comparada. Ao contrário da símile que é uma comparação expressa onde o sujeito está de fora.
Ex.: Metáfora -“Eu sou o pão da vida”.  “Vós sois a luz do mundo”
        Símile – “O reino dos céus é semelhante...”)

     2  – Metonímia. É o emprego do nome de uma coisa pelo de outra com que tem certa relação.

Ex.: Jó 32:7 “Falem os dias e a multidão dos anos ensine...”.  A idade por aqueles que a têm.
Gn 25:23 “Duas nações há no teu ventre”. Os progenitores pelas descendências.

     3  – Sinédoque – É a substituição de uma idéia por outra que lhe é associada.
Ex.: Gn 6:12 “E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida” – terra=homem do geral pelo particular.

     4 – Hipérbole - É a afirmação em que as palavras vão além da realidade literal das coisas.

Ex.: Dt 1:28 “As cidades são grandes e fortificadas até os céus”.

     5 – Ironia - É a expressão de um pensamento em palavras que, literalmente entendidas , exprimiriam o pensamento oposto.

Ex.: Juízes 10:14 “Clamai aos deuses que escolhestes, eles que vos livrem no tempo de vosso aperto.

     6– Prosopopéia – É personificação de coisas ou de seres irracionais.
Ex.: Sl 35:10 “Todos os meus ossos dirão: Senhor quem é como tu”. Ossos/fala
    7– Antropomorfismo – É a linguagem que atribui a Deus ações e faculdades humanas, e até osso e membros do corpo humano.

Ex.: Gn 8:12 “O Senhor cheirou o suave cheiro, e disse ...”. Cheirar/sentido
   
    8 – Parábola – É uma narrativa de acontecimento real ou imaginário em que tanto as pessoas como as coisas e as ações correspondem a verdades de ordem espiritual e moral.

Regras de interpretação das parábolas:
Primeira – Todos os termos devem ser interpretados.
Segunda – Devemos procurar o ponto central.
Terceira – Deve-se conhecer a interpretação dos símbolos bíblicos.
Quarta – Prestar atenção no início e no fechamento.
Quinta – Os passos mais obscuros interpretam-se pelos mais claros.
Sexta – Em certos casos um termo, pode aplicar-se com variadas modalidades.
8 – Provérbios – Demonstram a verdadeira religião em termos práticos e significativos. Os provérbios têm um único tipo de comparação ou princípio de verdade para comunicar. Não se pode ir além da intenção do autor.
Ex.: Pv 31:14 –

3. TEMPOS E ÉPOCAS.

Para interpretar corretamente a bíblia é preciso distinguir os tempos. Não devemos confundir as injuções e os privilégios de uma era com os de outra. Podemos observar este detalhe em Hebreus 1:1

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...